Ilha de Ikaria (Grécia), Ilha de Okinawa (Japão), Região de Ogliastra (Itália), Loma Linda (Califórnia) e Península de Nicoya (Costa Rica) ou Zonas Azuis são as regiões do planeta nas quais as populações têm a melhor qualidade de vida e a maior longevidade em comparação a outros povos com possibilidade de uma pessoa alcançar os 100 anos ou mais.

Aspectos relacionados às mais baixas taxas de mortalidade e demência na meia-idade do mundo, presença das mulheres mais longevas, maior concentração de homens centenários do mundo e menores taxas de diabetes, câncer e morte entre pessoas com menos de 65 anos são algumas das características dessas regiões.

O que mais esses lugares têm em comum?

– Corpo sempre em movimento: os moradores dessas regiões possuem hábitos rotineiros de cuidar da casa ou locomover-se a pé ao trabalho ou mercado e em algumas regiões, o trabalho dessas pessoas envolve movimentos como arar o campo.

– Rotinas mais calmas: o cotidiano dessas populações não é corrido e cheio de compromissos.

– Refeições na medida certa: eles seguem a regra dos 80%, ou seja, não comem até ficarem empanturrados (100%), mas, sim, até estarem satisfeitos.

– Dieta rica em vegetais: apesar de não serem vegetarianos, eles baseiam sua dieta nos alimentos derivados de plantas, além de grãos, incluindo soja, feijões e lentilhas. Além disso, carnes são consumidas, em média, apenas cinco vezes ao mês.

 – Bebem moderadamente.

– Espiritualidade: a fé se mostrou é um ponto forte para essas comunidades.

– Vida com propósito: ter um plano de vida ou um motivo para acordar toda manhã é um ponto importante entre os moradores das zonas azuis.

– Vida em comunidade: outro ponto muito forte nessas comunidades. a família está sempre em primeiro lugar; a Igreja é o lugar de reuniões e amizades. E por falar em amizades, nessas comunidades, os grupos de amigos datam desde a infância até o fim de seus dias e em todos os casos compartilham as felicidades e tristezas da vida.

A família é o alicerce. Pais e avós idosos são mantidos próximos ou em casa, sendo estes últimos os guardiões das famílias, os encarregados de passar as tradições para os membros da comunidade.

– Influência das pessoas “certas”: Conexões sociais com pessoas mais saudáveis. Estudos comprovam que fumo, obesidade, felicidade e até a solidão são contagiantes. Por isso, pessoas longevas moldam favoravelmente seus hábitos e saúde.

Texto selecionado e revisado por geriatra e gerontólogo.